Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Do Futebol

Blog de análise ao futebol: sério, irónico, crítico, construtivo, mas também intolerante para quem não tem princípios nem entende que a vida está muito para além dum pontapé numa bola.

Do Futebol

Blog de análise ao futebol: sério, irónico, crítico, construtivo, mas também intolerante para quem não tem princípios nem entende que a vida está muito para além dum pontapé numa bola.

CAMPEONATO NACIONAL 2017 / 2018 - NONA JORNADA

Voltaram as provas internas, balão de oxigénio das nossas principais equipas, que, puxando e puxadas pelos respectivos fãs, incham... incham... e de rãs se fazem vacas, bem em oposição à pequenez demonstrada na Europa, onde, normalmente... rebentam.

 

000016.jpg

 

 

Introdução feita, vamos à análise dos jogos do fim-de-semana.

 

OS GRANDES

 

img_797x448$2017_10_21_23_20_13_261457.jpg

 

O Porto deu cabo da mobília ao Paços de Ferreira. Partida sem história, não fosse a clarificação de que Conceição, enquanto as coisas lhe correrem bem, manterá a aposta em José Sá em detrimento de Casilhas (ver referência à parte).

 

benficaavesLUSA1.jpg 

 

O Benfica voltou ao seu sistema tradicional. O Aves encolheu-se demasiado para quem pretendia disputar o jogo. As ingenuidades defensivas deram duas penalidades e ajudaram os da Luz a mascarar a crise.

 

sporting.jpg

 

O Sporting teve pela frente um estranho Chaves, bem longe da equipa que na primeira metade da pretérita época tanto entusiasmou os amantes do futebol. Bas Dost voltou a mostrar-se letal no jogo de cabeça, ainda que se limitasse a concluir jogadas sem oposição digna desse nome.

 

OS ADVERSÁRIOS

Os grandes marcaram 14 golos e sofreram três: sintomático. Paços, Aves e Chaves foram uma nulidade. Salvaram-se os lances dos golos – um para cada – , sendo de realçar a qualidade do pontapé de Welthon, e a bonita jogada e soberba finalização de Davidson. O último apontamento vai para a presença do eterno Quim e para a velocidade estonteante do líbio Elhouni na direita, o qual parecia um atleta de 100 metros. Porventura tenha entrado demasiado tarde para explorar as notórias fragilidades de Coentrão.

 

OS JOGADORES

 

casillas.jpg

Casilhas

Pelo isolamento que evidencia, parece cada vez mais que o estão a empurrar para fora do clube. Tal como Maxi Pereira, tem um salário demasiado alto para a realidade portuguesa. Continuará a suplente enquanto não for óbvio que se recusa a sair, algo que se tornará claro lá para Janeiro. Como não creio que o espanhol venha a chamar a si o papel de “papá do José Sá no balneário”, irá ter entradas negras em 2018.

 

podence1.jpg

Podence

Tal como havia sucedido com Palhinha no ano transacto, usou as redes sociais para vir dar conta do seu descontentamento com a situação que atravessa no Sporting: “Um pássaro preso nunca aprende a voar”, escreveu. Todavia, rapidamente faria desaparecer a mensagem, deixando apenas uma fotografia a denunciar o cinzentismo do preto e branco. Mudou de ideias ou o serviço de inteligência leonino esteve particularmente activo nesse dia?

O hipotético prémio para a colaboração prestada foi a titularidade na partida com o Chaves. Esteve bem, sobretudo durante a primeira parte.

 

diogo.jpg

Diogo Gonçalves

Foi aposta de Vitória nos dois últimos jogos. Singular desafio, não porque falte qualidade ao jovem, antes pelo valor e número de alas do plantel benfiquista. A dúvida, coloco-a no facto de se apresentar a jogar no lado esquerdo, lugar para o qual me parece faltarem-lhe características.

 

 

A COMUNICAÇÃO SOCIAL

 

sérgio.jpg

 

Um jornalista presente na conferência de imprensa de Sérgio Conceição instou o treinador portista a pronunciar-se acerca duma suposta frase em que Rui Vitória teria afirmado que não trocava de guarda-redes por causa de telefonemas ou idades. A resposta, balbuciada, foi que: “Não tenho nada a comentar, não sei o que está a falar. Vou inteirar-me e depois responder”.

A uma pergunta imbecil correspondeu uma réplica evasiva. Sérgio procura mostrar-se corajoso, recusando a ideia de fuga às questões que lhe são colocadas. No futuro, será bom que compreenda que não é obrigado a responder a tudo. É que há uma diferença gritante entre perguntas e provocações.

 

DIVERSOS

 

martinschmidt.JPG

 

Martin Schmidt, treinador do Wolfsburgo, introduziu uma nova regra no clube: lavar os dentes depois da prática desportiva.”No final dos treinos está criada acidez dentro da boca, que ataca as gengivas e termina no sangue. Por isso, escovar os dentes ajuda a recuperar melhor a energia porque previne a acidez», disse.

Problema de rendimento desportivo ou excesso de sensibilidade do mister ao mau-hálito?

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub